Desde a época da puberdade e das espinhas no rosto, nós já sabíamos que as meninas adoravam um peitoral bem feito.

Independente de quem você é, a maioria de nós começou a treinar para impressionar as meninas e isso não muda nunca!



O peitoral é a prova fundamental de que a pessoa malha. Junte-se a isso a incessante pergunta: "Ei cara, quanto você pega no supino?", para comprovar a obsessão pelo desenvolvimento do peitoral.

Mas há um pequeno problema: Durante os exercícios de peito, podem ocorrer lesões. Nós acabamos com ombros desgastados, estiramentos no peitoral e inúmeras outras lesões.

O segredo é aprender algumas estratégias simples que lhe permitirão exercitar o peitoral de modo eficiente, enquanto mantêm o resto do seu corpo saudável.

Antes de começarmos a discutir exercícios específicos, que tal analisarmos o básico: sua anatomia.

ANATOMIA BÁSICA DO PEITORAL

A anatomia do peitoral compreende dois músculos: o peitoral maior e o peitoral menor.

ANATOMIA BÁSICA DO PEITORAL

Vamos dar uma examinada mais de perto.

O peitoral maior é o grande músculo em forma de leque que geralmente levamos em conta quando malhamos o peito. Este músculo compreende duas cabeças ou subseções: a cabeça esternal (inferior) e a cabeça clavicular (superior).



Eu não mencionei peitoral médio, peitorais interiores, nem nada do gênero. Assim sendo, você só tem duas seções: as cabeças esternal e a clavicular.

A cabeça esternal do seu peitoral maior é responsável por três movimentos principais:

  1. Extensão dos ombros: baixar o braço estendido acima da cabeça, como se faz no pullover.
  2. Adução horizontal: movimentar o braço pelo corpo, como se faz no crucifixo
  3. Rotação interna: rotação do ombro no sentido frontal/central do corpo

A cabeça clavicular do peitoral maior também é responsável por três movimentos principais:

  1. Flexão dos ombros: levantar o braço acima da cabeça;
  2. Adução horizontal: o mesmo do item anterior
  3. Rotação interna: o mesmo do item anterior

À exceção de levantar ou baixar os braços, pode-se observar que os movimentos primários dos peitorais são para a adução horizontal dos braços e a rotação interna dos ombros. Essas informações serão muito úteis quando mostrarmos as variações de exercícios mais tarde.

Apesar de o peitoral maior receber toda a pressão, o peitoral menor também é um grupo muscular importante, mais na prevenção a lesões do que na melhoria do desempenho ou estética.

O peitoral menor é responsável pela inclinação anterior da escápula; observe sua ligação à caixa torácica e imagine o músculo movendo a escápula para cima e para frente.

Um peitoral menor rígido é uma causa comum de dor nos ombros, especialmente problemas na articulação AC. Embora vá além do escopo deste artigo, a soltura do pequeno peitoral via métodos de tecido mole como técnicas de soltura ativa ou massagem do tecido profundo, junto com o fortalecimento específico do músculo inferior do trapézio podem melhorar bastante seus ombros.



Agora que você possui um entendimento básico do peitoral, vamos ver alguns exemplos de treinamento que ajudam a maximizar seu desenvolvimento.

TREINAMENTO INTELIGENTE PARA O PEITORAL

Desde que começamos a treinar, as pessoas nos dizem que o supino inclinado é ótimo para o peitoral superior, enquanto o supino declinado e o reto agem no peitoral inferior.

E é a pura verdade!

Enquanto levantamos os braços acima da cabeça (flexão dos ombros), diminuímos a porção clavicular do nosso peitoral. Então, quanto maior a inclinação, mais pressão se exerce na cabeça clavicular (superior) do peitoral e no deltoide anterior.

Em contraste, no supino reto (ou declinado), diminui-se a quantidade de flexão dos ombros e, assim, exerce-se mais pressão na cabeça esternal (inferior) do peitoral.

Entretanto, ao criar um programa holístico de desenvolvimento do peitoral, é importante não só escolher os exercícios que maximizam o desenvolvimento, como também acrescentar os que nos deixam saudáveis e permitem malhar duro.

SUPINO COMPOSTO

No supino, é importante se exercitar de diferentes ângulos. Se você já atingiu um equilíbrio satisfatório entre as partes inferior e superior do seu peitoral, eu recomendo balancear os supinos inclinado, reto e declinado.



Indo além das variações básicas do supino, de qualquer forma, temos a flexão. As pessoas sempre esquecem, ou não reconhecem, a importância da flexão em um programa de treinamento. No supino, o objetivo é manter sua escápula (omoplata) totalmente para trás e para baixo. Essa estabilidade permite maximizar o peso do exercício e, consequentemente, o desenvolvimento do peitoral.

Em contraste, as flexões forçam o movimento variado das omoplatas. Em vez de ficarem para trás e para baixo, elas se juntam quando você aproxima o corpo do solo (retração) e, depois, se distanciam quando você eleva o corpo (protração).

O maior benefício nesse caso é o desenvolvimento do serrátil anterior, um grupo muscular fundamental para manter os ombros saudáveis. Na elevação da flexão, tente distanciar o corpo o máximo possível do solo. Essa protração ativa é fundamental para o desenvolvimento do serrátil anterior.

A flexão proporciona outro benefício, além do desenvolvimento do serrátil. As mãos no solo significam um exercício de "cadeia fechada". Isso é fantástico para aumentar o recrutamento do manguito rotador e dos músculos estabilizadores menores, o que faz da flexão um excelente exercício para os ombros.

Conhecer nossa anatomia nos ajuda a modificar os exercícios acima no caso de problemas específicos como o pinçamento do ombro.

Se você sente dor ao flexionar em pronação tradicional (palmas abertas), experimente uma posição neutra (palmas fechadas) e halteres. Essa rotação externa súbita abre seu espaço subacromial, proporcionando descanso ao seu manguito rotador.

Outra alteração é mudar o ângulo de levantamento. Muitas vezes, as pessoas sentem mais dor nos movimentos acima da cabeça, o que significa que o supino inclinado não é uma boa opção. Em vez de simplesmente descartar o inclinado, comece abaixando o supino um pouco. Veja se faz alguma diferença.



Eu peço que você verifique a causa da dor no ombro em primeiro lugar (e cuide do problema!), mas essas opções permitem que você utilize o supino enquanto isso.

EXERCÍCIOS ISOLADOS

Eu me arrisco a perder minha credibilidade como fisiculturista ao dizer isso, mas se seu objetivo é maximizar o desenvolvimento do peitoral, o crucifixo é muito importante.

Como dito acima, junte seu amor pelo crucifixo com o grupo muscular que deseja desenvolver. Se desejar desenvolver o peitoral superior, faça o crucifixo inclinado. Se o problema é o peitoral inferior, faça o crucifixo reto ou declinado.

Outro movimento importante que você pode incorporar ao pós-treinamento é o chamado crucifixo com halteres excêntrico quasi-isométrico (EQI). O EQI é fantástico porque é um estiramento ativo, o que nos ajuda a restaurar as relações normais de comprimento/tensão pós-treino. O longo tempo sob tensão é também excelente para desenvolver a força do tecido conjuntivo, o que ajuda a prevenir distensões peitorais no futuro.

O exercício é muito simples: Comece com pesos leves (3 kg a 5 kg) e, depois, entre na posição de crucifixo. À medida que você cansa, seus braços naturalmente tenderão ao solo.

O objetivo é segurar entre 30 segundos e 2 minutos. Assim que atingir a marca de 2 minutos, aumente os pesos na próxima vez.

O EQI é uma boa ferramenta e deve ser usado após as séries de supino/peitoral.



INCORPORANDO MAIS EXERCÍCIOS DE FLEXÃO

Antes de encerrarmos, quero assinalar algo muito importante. Muitas vezes, os jovens alegam que não conseguem desenvolver o peitoral ou que não nasceram para ter um peitoral desenvolvido. Esses mesmos caras normalmente possuem uma postura horrível por conta dos games ou por sentar à carteira 10-12 horas por dia com os ombros caídos.

Surpreendentemente, são esses mesmos caras que fazem séries de 20-30 exercícios de peito todas as segundas-feiras.

Olhe, se sua postura é ruim, é melhor consertá-la JÁ! Seus ombros caídos "escondem" o desenvolvimento do seu peitoral e continuar a exercitá-los incessantemente não leva a nada.

Para caras desse tipo, eu geralmente prescrevo duas ou três séries de barras horizontais/verticais para cada série de flexões. Até que eles consertem o desequilíbrio e abram o peitoral, não faz sentido malhar o peito sem parar.

Se o seu objetivo é levantar 200 kg no supino ou desenvolver um peitoral maior que o do Schwarzenegger, os exercícios e variações neste artigo podem ajudá-lo a se desenvolver mais rapidamente com menos lesões. Espero que você utilize o conhecimento adquirido aqui na próxima vez em que for à academia. Boa sorte!

EXERCÍCIOS PARA EXPLOSÃO DE PECTORIAIS
1
Decline dumbbell bench press
SUPINO DECLINADO COM BARRA. 3 séries de 6 a 8 repetições.
3 sets, 6-8 reps
+ 6 more exercises

BodyFit Plus

$3.99/month
  • 2,500+ expert-created single workouts
  • 3,500+ how-to exercise videos
  • Detailed workout instruction
  • Step-by-step workout tips
  • Training at gym or at home

What comes with BodyFit Plus?

  • Instructional Videos
  • Don't risk doing a workout improperly! Avoid injury and keep your form in check with in-depth instructional videos.

  • How-to Images
  • View our enormous library of workout photos and see exactly how each exercise should be done before you give it a shot.

  • Step-by-Step Instructions
  • Quickly read through our step-by-step directions to ensure you're doing each workout correctly the first time, every time.

About the Author

Mike Robertson, C.S.C.S.

Mike Robertson, C.S.C.S.

Mike Robertson, CSCS, has helped people from all walks of life achieve their strength, physique and performance-related goals. Learn more.

View all articles by this author